Secretária de Saúde realiza campanha contra a leishmaniose
Em 14/06/2017


A Secretaria de Saúde de Ouro Preto, por meio do Setor de Controle de Zoonoses, intensificou a campanha de prevenção contra a leishmaniose visceral no município, sobretudo em Antônio Pereira, com ações de sensibilização da comunidade e exame da população animal.

Por meio de visitas aos imóveis do distrito, os agentes de endemias realizaram um senso canino, identificando 768 cães na localidade. Agora, todos os animais estão passando por exames de sangue para verificar a presença da doença. Essa ação se fez necessária após a confirmação de um caso humano no distrito.

A Leishmaniose é uma zoonose, ou seja, uma doença que acomete homens e animais e o principal hospedeiro, na zona urbana, é o cão. Trata-se de uma doença causada pelo protozoário Leishmania sp., e a transmissão ocorre através da picada do mosquito infectado Lutzomyia longipalpis, conhecido como mosquito-palha. O ser humano e o cão adquirem a doença após serem picados por um mosquito infectado pelo protozoário.

Nathália Soares, médica veterinária responsável pelo Setor Municipal de Zoonoses, afirma que a equipe está empenhada nas ações de bloqueio da doença, no entanto é necessário o apoio da população. “Precisamos da colaboração da população recebendo a equipe em casa, ajudando a segurar o cachorro e mantendo-os sempre presos em casa”, ressalta. A veterinária esclarece ainda que a principal forma de contágio da doença é a picada do mosquito-palha. “Para combater o mosquito, a população precisa manter a casa e o quintal sempre limpos. Se houver galinheiro, chiqueiros ou canil, deve-se mantê-los limpos e secos. As folhas de árvores, fezes de animais, restos de madeira e frutas devem ser recolhidos, porque acumulam umidade e favorecem a criação do mosquito”, esclarece.

Além das visitas domiciliares, o Setor de Zoonoses vem realizando diversas intervenções educacionais para esclarecer sobre a doença, bem como as medidas básicas de prevenção. A primeira intervenção foi realizada na Unidade de Pronto Atendimento de Antônio Pereira – UPA, que constou em uma reunião para repassar informações à equipe local. A segunda foi realizada na Escola Estadual Daura de Carvalho Neto, com a participação de representantes da Associação de bairros e da comunidade.

Segundo Girley de Oliveira Almeida, referência técnica de leishmaniose do município, as medidas preventivas e informativas (como instruções de prevenção, principais sintomas e indicações adequadas de ajuda) continuarão, de acordo com as diretrizes do Programa de Leishmaniose. “No primeiro momento, o foco é Antônio Pereira, mas as ações serão ampliadas para as demais locais do município e serão permanentes”, ressalta.

O que acontece com o cachorro que hospeda o parasita

O exame nos animais acontece da seguinte forma: os agentes recolhem uma pequena amostra de sangue do cão e o material é levado para o Laboratório de Ouro Preto, onde o teste é realizado. Caso o resultado seja positivo, o sangue é levado para a Fundação Ezequiel Dias – FUNED/BH, laboratório especializado em realizar exames desta natureza. Se houver confirmação, a equipe volta a contatar a família para os procedimentos posteriores.

O departamento de Zoonoses, com base no Ministério da Saúde, recomenda a realização da eutanásia do animal positivo, visto que se trata de uma doença de grande risco à saúde humana. Há a alternativa de tratamento do cão, porém o mesmo deve ser acompanhado por um veterinário particular. Dessa forma, o proprietário deve assinar um termo comprometendo-se a enviar, mensalmente, um laudo médico do animal para o setor de Zoonoses, a fim de que sejam verificados o estado de saúde e o tratamento dado ao cão.

 

 

Sintomas

Os sintomas no cão e no ser humano são silenciosos. No homem, quando aparecem, podem incluir febre, perda de peso e inchaço do baço ou fígado e anemia. No cachorro, os sintomas são os seguintes: perda de peso, falta de apetite, feridas na pele que não cicatrizam, falta de pelo em volta dos olhos e debilidade, dentre outros.

Qualquer suspeita da doença em cães deve ser comunicada imediatamente ao departamento de Zoonoses pelo telefone: 3559-3294.

Alerta Meteorológico

Estado de observação
saiba mais
  
 
 
 

Clima da cidade

Receba notícias da Prefeitura

×